Mães que viraram orientadoras

12/05/2019
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

"Sempre sonhei em ter um negócio que me desse a oportunidade de estar perto dos meus filhos, acompanhando seu desenvolvimento acadêmico. Após cinco anos de Kumon, posso dizer que conquistei esses objetivos com realização profissional e financeira." (Iara Augusto)

 

"Poder contribuir diretamente para o aprendizado da minha filha é maravilhoso! Ver de perto que ela se torna cada vez mais independente, inteligente e autoconfiante não tem preço." (Adriana Kuga)

 

“Quando procurei o Kumon, queria melhorar a leitura de meu filho mais novo, na época com 7 anos. Hoje, ele é uma criança autônoma e tenho certeza de que o método o ajudará a ser um excelente profissional no futuro.” (Marcella Pimentel)

 

Esses são depoimentos de mães de alunos que se tornaram orientadoras. O Kumon surgiu do amor de uma família por seu filho e continua atraindo pessoas que desejam acompanhar o desenvolvimento de suas crianças enquanto conquistam satisfação pessoal e profissional.

Ao abrir uma unidade, as franqueadas atuam tanto como gestoras, cuidando das demandas administrativas, quanto como orientadoras, direcionando os estudos de cada aluno. Contudo, não é preciso ter formação específica para fazer parte do Kumon. Basta dedicação e amor pela educação.

Esse é o caso da maioria das mães que são orientadoras. Adriana Kuga, franqueada há 5 anos, coordenava uma rede de restaurantes quando decidiu adquirir uma unidade para ficar mais perto de sua filha, Beatriz. 

                Adriana conta como esse passo foi importante para sua vida. “Eu me sinto privilegiada. Conviver com pessoas que têm o mesmo sonho nos torna fortes e confiantes. Além disso, consegui combinar paixão pelo que faço com segurança financeira. "

Iara Augusto e Marcella Pimentel têm histórias parecidas. Iara conheceu o método por causa de sua filha, Bárbara, diagnosticada com dislexia e TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade). A menina apresentava dificuldades de concentração e de leitura.

Após ingressar no Kumon, Bárbara se tornou uma criança disciplinada e autodidata. Vendo essas mudanças, Iara resolveu trabalhar como auxiliar de sala, ajudando a orientadora da menina. Dois anos depois, mais uma mãe se apaixonou pelo método e abriu a própria unidade.

Iara diz que sua iniciativa foi motivada pela solidez e pela abordagem da empresa, focada na individualidade de cada aluno. "Quando participei da reunião de apresentação, eu me senti uma ferramenta importante para difundir e compartilhar conhecimento. Percebi que não estaria sozinha no meu novo projeto, mas contaria com o suporte de quem está estabelecido no mercado."

Fato semelhante aconteceu com Marcella Pimentel. Ela já conhecia o Kumon, pois seu filho, Leonardo, fazia o curso de português, e buscava um investimento que gerasse retorno financeiro e satisfação pessoal.

Então, Marcella abriu a própria unidade, passou a acompanhar o desenvolvimento do seu menino e contribuir para o aprendizado de outras pessoas. “O Kumon representa todos os meus sonhos. É a minha grande paixão. Não existe nada melhor do que ver um aluno evoluindo”, afirma.

Há mais de 60 anos, ajudamos mães, estudantes e orientadoras a descobrirem seu máximo potencial. Para saber mais sobre o método, clique aqui.

Marcella decidiu abrir sua unidade depois de matricular seu filho no Kumon
Marcella decidiu abrir sua unidade depois de matricular seu filho no Kumon



Tags: kumon, experiência

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade