Explorando ao máximo o potencial da criança

04/12/2018
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Davi Valadão de Souza, de 6 anos, é louco por livros. Ele adora ler! Para aproveitar ao máximo toda essa determinação, há dois anos seus pais o matricularam no Kumon de Português. Valeu a pena: atualmente, além de ler com facilidade, Davi já estuda temas como sujeito e predicado. Além disso, ele também faz o Kumon de Matemática, e está estudando adição de dois algarismos!

 

Davi adora compartilhar seu conhecimento e ler para os amigos na escola. Quando os coleguinhas perguntam sobre o Kumon, ele é certeiro na resposta: diz que é esperto porque faz Kumon e que, se eles se matricularem no Método, também podem ficar inteligentes!

 

Um investimento no amanhã

 

Adriana Valadão, mãe de Davi, conheceu o Kumon em 2014, quando recebeu um convite para participar de um processo seletivo para coordenadora em Brasília. Depois que se tornou colaboradora, percebeu quanto poderia contribuir para o desenvolvimento do filho. Para ela, deixar de matriculá-lo seria um desperdício de potencial, já que o menino sempre foi muito curioso, tendo um enorme interesse por livros e um grande desejo de aprender.

 

"Desde o primeiro momento como colaboradora, trabalho todos os dias com muito amor. Sei que o Método contribui para a formação de crianças que, por sua vez, contribuirão para um futuro melhor. Sou muito grata por poder proporcionar o estudo do Kumon para o meu filho."

- Adriana Valadão, mãe de Davi

 

Persistir é preciso

 

Como todos os pais que têm filhos matriculados no Kumon sabem, nem tudo são flores. Adriana conta que no início o maior desafio foi imprimir uma rotina de estudos diários. Porém, em pouco tempo a concentração do filho já havia aumentado, e a memorização dele estava muito boa.

 

A mãe faz questão de reforçar sempre para o menino que o Kumon contribuirá para que ele tenha um futuro melhor, e que é um grande aliado para que ele aprenda a ser persistente até mesmo nos momentos de desânimo.

 

"O Kumon faz parte da rotina da nossa família. Com isso, independentemente de viajarmos ou não, a atividade do Kumon é a primeira coisa que o Davi faz após o café da manhã nas férias. A família toda se envolve, aproveitamos o momento para estudar ou ler um livro. É importante que ele não perca o ritmo que adquiriu ao longo do ano."

- Adriana, mãe de Davi

 

Um futuro promissor

 

Quando o aluno estuda no próprio ritmo, o resultado vem naturalmente. Depois do Kumon, Davi se tornou mais confiante e, hoje, tem um vocabulário bem mais diversificado que o da maioria das crianças da idade dele.

 

A mãe conta que, antes de entrar no Kumon, já havia lido com o marido mais de 100 livros para Davi. Porém, desde que ele começou a ler sozinho, ganha um livro novo todo mês, e já leu aproximadamente 45 livros!

 

Davi começará o primeiro ano em 2019, já lê fluentemente e tem excelente capacidade de cálculo. Ou seja: a família não tem dúvidas de que a escola não será um peso para ele. Assim, sobra mais tempo para Davi fazer suas atividades preferidas, como andar de bicicleta, jogar bola ou desenhar.

 

"O Kumon me deixa mais inteligente. Depois que termino, fico livre para brincar do que quiser!"

- Davi



Tags: pré-escolar, método, português, alfabetização

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade