Época de professor e o início das aulas particulares

02/12/2019
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Depois do serviço militar e da atuação como professor do curso preparatório da Marinha, Toru Kumon lecionou em várias instituições e criou um sistema de aulas particulares. Essas experiências foram essenciais para a fundação do método Kumon.

A carreira nos colégios

Após a Segunda Guerra Mundial, ele foi contratado pela Escola Ginasial e de Ensino Médio da cidade de Tenri, na qual também ficou responsável por cuidar de um alojamento de crianças. Na época, era comum faltar eletricidade ao longo da noite. Durante a ausência de luz, elas revisavam oralmente o que tinham estudado. 

Essa vivência foi valiosa para Toru Kumon, ajudando-o a entender a importância de rever os assuntos. “No aprendizado de idiomas ou nas leituras, o aluno desenvolvia mais profundamente as habilidades fazendo revisões da matéria, ao invés de apenas avançar.”

Posteriormente, lecionou na Escola Ginasial de Tosa, a qual frequentara na infância. Lá, pediram a ele que ministrasse aulas não de matemática, mas de ciências, matéria com a qual foi se acostumando aos poucos. “Se ensinamos, acabamos adquirindo capacidade mesmo em uma disciplina que não dominamos tanto.”

Com a intenção de auxiliar na preparação para o vestibular, o professor passou a incluir aulas de álgebra no currículo. Nelas, os alunos progrediam sozinhos e perguntavam quando tinham dúvidas. “O desejo da turma de aprender e o meu método de deixá-la avançar livremente combinaram perfeitamente, trazendo bons resultados.”

O sistema de aulas particulares

De acordo com Toru Kumon, quanto maior fosse a dedicação, maior seria o crescimento. Por isso, chamou algumas crianças para estudarem em sua residência. “Como achei que o inglês seria imprescindível no futuro, decidi ensinar essa disciplina em minha casa.”

Pouco tempo depois, abriu turmas de matemática e convidou estudantes mais velhos para ajudá-lo. A série escolar e o ritmo de evolução dos alunos variavam, mas todos utilizavam o mesmo material didático. Deveriam resolver os exercícios sozinhos; se precisassem, perguntavam aos colegas ou aos auxiliares.

Quando o filho mais velho de Toru Kumon, Takeshi, estava prestes a ingressar no colégio, a família se mudou para Osaka, onde ele continuou organizando aulas particulares. “Expandindo esse sistema, mais alunos poderiam ser beneficiados. Então, resolvi dividi-los em grupos e, para cada grupo, colocamos um professor.”

Os docentes recebiam a orientação de aplicar novamente as provas realizadas pelas crianças em sala de aula, para que elas assimilassem o conteúdo mesmo após os exames. O intuito de trabalhar habilidades acadêmicas para a vida e de estimular o interesse pelo aprendizado foram os princípios norteadores da criação da nossa metodologia.

Conheça o método Kumon. Visite o site e encontre a unidade mais próxima de você!

Tags: kumon, experiência, método

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade