Quem conhece o Kumon, confia nos resultados

20/09/2019
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Liziane e as duas filhas, Sophia e Manuela.


Liziane é orientadora na Unidade do Kumon Irajá. Ela diz que conheceu o Kumon ainda na adolescência, pois alguns colegas de escola estudavam pelo método e ela percebia o desempenho deles em sala de aula. Anos depois, quando sua filha mais velha, Sophia, começou a cursar o 1º ano do Ensino Fundamental, ela decidiu matriculá-la em Matemática. Mesmo sabendo que a menina não tinha dificuldades com a matéria, a mãe achou que isso poderia ajudá-la a aprender além de sua série escolar. Liziane estava certa. Logo a filha começou a se destacar na escola. Ao ver os benefícios do método tão de perto, a mãe descobriu que poderia ter iniciado antes e decidiu aplicá-lo com a filha caçula, Manuela. Ela entrou mais cedo no Kumon e já possui muita desenvoltura para ler. 

“Escolhi o Kumon porque, além de pesquisar sobre a eficácia do método, ao longo da vida conheci pessoas que fizeram Kumon e pude presenciar a forma como elas utilizaram o que aprenderam, principalmente no ambiente escolar.” Liziane


Segurança para aprender e crescer

Segundo Liziane, hoje as filhas possuem uma disciplina de estudo consolidada. Antes das provas, ela comenta, as meninas não precisam estudar muito as disciplinas que já fazem no Kumon, pois como fazem as tarefas diariamente se sentem muito seguras em relação aos conteúdos.

“Estudando um pouco a cada dia elas se sentem mais seguras para ver conteúdos novos e utilizam esta postura para realizar as atividades que a escola envia para casa.” Liziane

A mãe conta que a filha mais nova, Manuela, avançou uma série na escola na mesma época em que começou os estudos no Kumon. Liziane acredita que o bom trabalho na escola, aliado ao método, foi significativo para que a filha conseguisse alcançar este resultado. Ela ainda acrescenta que a menina gosta muito de ler e fica muito feliz em poder realizar esta atividade com segurança, tanto em relação aos conteúdos escolares quanto a livros mais extensos. Mesmo sendo a mais nova da turma, Manuela foi uma das escolhidas para ler um poema na apresentação de Dia das Mães da escola. A mãe, claro, ficou emocionada. Ela conta que a razão não foi somente a homenagem, mas também o momento em que percebeu a confiança e segurança da filha naquele momento.

Liziane ainda conta que Sophia, que gosta mais dos números, realiza contas mentalmente com agilidade tanto na escola quanto no dia a dia. Algumas professoras da filha mais velha comentaram que a menina possui muita segurança em Matemática, e disseram que ela frequentemente ajuda os colegas que têm dificuldades na matéria. Além de motivo de orgulho para Liziane, isso demonstra que as filhas utilizam o método em todos os momentos e que realmente aprenderam de verdade.


Tags: kumon, matemática

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade