Quando e por que inserir a criança pequena nas letras e nos números?

27/06/2019
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Muitos pais têm dúvidas quando precisam inserir crianças em idade pré-escolar em um ambiente de estudos. Eles têm receio de sobrecarregar os filhos e prejudicar sua infância. Contudo, é justamente nessa fase que os pequenos começam a assimilar padrões sociais, emocionais e cognitivos.


Para Ingrid Franco, Coordenadora Pedagógica que trabalha no Setor de Língua Pátria do Kumon, a primeira infância, período que envolve os seis anos iniciais, é fundamental para o desenvolvimento do aluno, que levará para a vida inteira as lições adquiridas nessa etapa.


“Na primeira infância, o cérebro está passando por mudanças constantes e trabalhando para consolidar conhecimentos. Logo, as experiências dessa fase terão um papel decisivo no adulto que o pequeno virá a ser”, comenta Ingrid.


Quanto mais estímulos as crianças receberem, mais completo será seu desenvolvimento. No Kumon para pré-escolares, antes de serem alfabetizados, os alunos são estimulados com músicas, cartões de palavras, tabuleiros de números e livros. Esses incentivos ajudam a despertar a curiosidade e o interesse pelo aprendizado.


No Kumon, os livros ganham atenção especial. Por meio de uma relação saudável com a leitura, as crianças conseguem estudar com mais tranquilidade. “Buscamos firmar a leitura como algo rotineiro e prazeroso. Quem cria um laço positivo com essa atividade adquire, com facilidade, conhecimentos, os quais contribuirão para sua formação pessoal e profissional”, afirma Ingrid.


Além desses exercícios, é fundamental que os pais participem da aprendizagem dos filhos. Um bom jeito de fazer isso é levando os pequenos para passeios culturais. Assim, eles poderão relacionar o estudo acadêmico à realidade. Algumas sugestões de locais para visitar são museus, bibliotecas e parques ecológicos.


Como explica Ingrid, “a constante motivação e a variação de estímulos fazem com que as crianças tenham gosto pelo aprendizado em tão tenra idade”. Alunos que gostam de aprender tendem a evoluir mais, e quanto antes esse hábito for criado, melhor.


Com um plano individualizado, orientação específica e estudo no ponto ideal, ou seja, adequado à capacidade cognitiva que o pequeno apresenta no momento, o método Kumon ajuda a criança a descobrir e atingir seu máximo potencial.


Para Ingrid Franco, “a partir da orientação na primeira infância, é possível conhecer a real situação do aluno. Então, podemos desenvolver, individualmente, cada criança de acordo com suas habilidades, independentemente da idade.”


A especialista finaliza dizendo que o aprendizado, nessa fase, é fundamental para formar pessoas seguras e autônomas. “A construção de um bom hábito de estudos na infância gera a confiança e o conhecimento necessário para que as pessoas alcancem seus sonhos e objetivos.” Para saber mais sobre o método Kumon, clique aqui.



Tags: pré-escolar, crianças, alfabetização

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade