O Kumon é bom para quem tem dificuldade de aprendizagem?

20/08/2020
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Para muitos alunos, as dificuldades na escola significam bem mais que notas baixas ou não ir bem em uma matéria. As dificuldades podem se tornar motivo de ansiedade, tristeza, desânimo levando toda a família a uma situação de desespero. Afinal, tudo o que um pai ou mãe quer é ver seu filho feliz, tendo prazer em aprender e se desenvolver, não é mesmo? Dói saber que, apesar de todos os esforços, o problema permanece e você desconhece a solução.

Esta era a situação de Valéria, mãe de Arthur, de 11 anos. Mas poderia ser também a de muitos outros pais. Arthur tinha dificuldades em compreender o conteúdo em sala de aula, e as tarefas de casa dependiam totalmente do acompanhamento da mãe para que ele conseguisse realizá-las. Valeria procurou ajuda e encontrou o Kumon como uma solução. Hoje, Arthur é aluno do Kumon de MatemáticaPortuguês e Inglês e se tornou uma criança independente, concentrada e que depende pouco da participação da mãe. 


ESTAMOS COM MATRÍCULAS ABERTAS  


Segundo Valéria, era desesperador ver o filho chegando em casa angustiado, triste e chorando porque não havia entendido a aula. Como era de se esperar, o menino começou a ficar desanimado. O auge da situação ocorreu quando Arthur, que tem Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), teve uma crise nervosa no colégio. Valéria já havia tentado de tudo: reforço escolar, professor particular, terapia, mas não conseguia ajudar seu filho no desenvolvimento escolar. 

Valéria havia ouvido de algumas pessoas que o Kumon não era para Arthur, que ele não ia obter sucesso. “Eu ouvi falar que era uma espécie de reforço escolar, mas que não serviria para o meu filho, pois exigia muita concentração da criança. Como Arthur é hiperativo e tem déficit de atenção, as pessoas me disseram que não adiantaria para nada, a não ser ele continuar repetindo os mesmos erros.”  

A mãe contrariou essas afirmações. Ela conta que foi até a unidade querendo saber porque o método não era pro seu filho. Entretanto, tudo mudou ao chegar lá. Segundo Valéria, foi como “entrar no paraíso”. O que a orientadora apresentou, dos livros aos materiais didáticos, era exatamente o que ela precisava.

A mãe não estava preocupada onde o filho iria chegar. Só queria que ele caminhasse, continuasse disposto, com vontade de aprender, de perguntar, de ter dúvidas como qualquer criança. Que ele fizesse a lição sozinho e tivesse vontade de ir pra escola. E o Kumon tinha tudo para ajudá-lo a chegar lá.

 

Uma grande transformação

 

Arthur faz seu próprio horário de estudos e realiza as tarefas sozinho em sua casa.   

“Quando vejo Arthur conseguindo realizar as tarefas do Kumon, sozinho, é muito gratificante. É difícil explicar esta alegria. Um dia ele chegou da escola muito feliz, dizendo: ‘mamãe, eu sou bom. É bom saber, né?’. Esta foi a frase mais bonita que eu já ouvi na minha vida, depois de ‘mamãe, eu te amo’.” Valéria, mãe de Arthur.

Em um ano, Arthur passou de um menino que contava nos dedos, chegava da escola chorando e teve uma crise na sala de aula, para uma criança que volta da escola animada e feliz, orgulhoso de seus resultados e de ter tirado nota 9 em matemática.

Valéria só tem a agradecer ao Kumon. Para ela, algumas coisas na vida têm preço. Outras, têm valor. E o Kumon tem muito valor, é prioridade. “O Kumon é para a vida, e tem o poder de mudar vidas.” Palavra da Valéria, do Arthur e de muitos outros pais e alunos.

 

Tags: kumon, matemática, inglês, português, kumonnolar

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade