Ela sonhava em trabalhar com mangá no Japão, e o Kumon a ajudou a chegar lá!

05/01/2020
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:


Cada vez mais a cultura do Japão vem atraindo o interesse dos jovens brasileiros. Muito disso se deve aos famosos animes e mangás, as animações e quadrinhos japoneses. São eles que levam muitos alunos a estudar o Kumon de Japonês. Mas, no caso de Ellen Rocha Lau, de 24 anos, este interesse foi além. Ela queria fazer dos mangás uma profissão! Na época de escolher o que cursar na faculdade, a primeira opção da paulista foi o curso de quadrinista. Afinal, ela sempre acreditou que deveria trabalhar com o que amava. Entretanto, a família não gostou da decisão, e a convenceu a estudar Administração na Universidade Federal do Mato Grosso.

Mas um sonho não acaba assim, tão facilmente. Durante uma aula de Economia, o professor apresentou um artigo sobre indústrias internacionais e, no final da página, havia uma nota sobre a indústria do entretenimento no Japão. Foi o suficiente para Ellen retomar seu sonho!

Quando criança, Ellen fez Kumon de Português e Matemática. E como uma boa aluna do Kumon, a primeira coisa que ela fez foi se organizar. Sistematicamente, Ellen começou a pesquisar mercados, impostos e salários, além de planejar um cronograma de treinos e estudar desenhos.

O planejamento incluía quatro anos de estudos em desenhos, alinhados à faculdade de Administração, e mais um ano estudando mangá no Japão. Mas ainda havia outro detalhe importante: para conquistar seu sonho, Ellen precisaria aprender Japonês. 


Ellen tinha pressa e precisava aprender no próprio ritmo

Como já conhecia o método Kumon, esta foi a opção eleita por Ellen para alcançar a proficiência necessária na língua japonesa. Ela sabia que, devido às características do método, o desenvolvimento nos estudos iria depender exclusivamente dela. Ellen começou os estudos pelo Nihongo, que concluiu em um ano e meio, para então iniciar o Kokugo – um nível avançado do material de Japonês, em que todo o conteúdo é desenvolvido por nativos. O Kokugo é bastante denso, e Ellen conta que o apoio da orientadora Lúcia foi essencial para que ela atingisse seus objetivos:

 “O Kokugo é um nível difícil, e sem todo o suporte e dedicação que a Sensei me deu, eu teria desistido muito antes de terminar. Além das infinitas palavras de conforto e suporte, ela sempre conversava comigo em japonês. E a conversação é um ponto importantíssimo ao aprender uma nova língua.” Ellen

Muito focada, Ellen conta que levava os exercícios do Kumon para todos os lugares – jantares com a família, cinema, viagens… Tudo isso porque ela precisava concluir os estudos em alguns meses para poder dar continuidade aos seus planos. Tanto esforço valeu a pena: Ellen terminou o material apenas três dias antes de sua viagem para o Japão. Mas houve algo ainda mais importante e gratificante: quando a família percebeu o quanto ela estava se empenhando, passou a incentivá-la.

 

Uma grande conquista pessoal e profissional


 Mais que a realização de um sonho e uma grande conquista pessoal e profissional, o Kumon proporcionou algo que Ellen nunca achou que seria possível. Desde que decidiu trabalhar com mangás, ela enfrentou grande resistência por parte da família. Muito rígidos em relação aos estudos e ao trabalho, eles não apoiavam suas ideias. Porém, assim que Ellen tirou o visto japonês, seu pai mudou de postura e assumiu que a filha merecia esta viagem. Ela conta que este parabéns aconchegante foi muito valioso, e é uma lembrança que ela vai levar para a vida toda. 

 

“Quem diria que eu voltaria e estudar Japonês pelo Kumon, que eu não gostava quando criança… Para meu espanto, esta foi a chave para mudar o pensamento da minha família. Sou muito grata por isso.” Ellen

Além de uma vitória pessoal, o feito de Ellen foi uma grande conquista profissional, e nunca seria possível sem a ajuda do Kumon. Segundo ela, o método foi fundamental desde o momento em que tirou o visto sozinha e entrou em contato com a escola técnica de mangá para enviar toda a documentação. Depois de chegar ao Japão, há apenas um mês, ela diz que consegue se comunicar com facilidade e ler o necessário para continuar a caminhada rumo ao seu objetivo. Com a ajuda do Kumon, Ellen sente que possui todas as ferramentas de que precisa para seguir em frente com seus estudos.

 

 

 

 

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade