conexão e inovação para estudar japonês

06/08/2020
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

O distanciamento social trouxe limites que sequer poderíamos imaginar há alguns meses. Quem diria que ir ao mercado ou almoçar em um restaurante se tornariam atividades tão restritas, não é mesmo? Em um momento com tantas limitações, é necessário sermos criativos e inovadores para manter o contato com os amigos ou nos exercitar. Com os estudos não é diferente. 

Foi pensando nisso que a orientadora Yumi Arteiro encontrou soluções para ajudar seus alunos neste período. Ela percebeu que muitos adolescentes usam um aplicativo que permite conversar por mensagens de texto ou voz enquanto jogam online. Muito conhecida dos gamers, a orientadora pensou: por que não aproveitar a familiaridade dos jovens com a plataforma para potencializar ainda mais o aprendizado? 


MATRÍCULAS ABERTAS 


Yumi usou o aplicativo para criar um espaço exclusivo para o Kumon, com salas onde é possível que alunos conversem entre si e também com a equipe da unidade. Além disso, a orientadora utiliza os chats de voz para garantir a individualidade de cada atendimento, já que o app limita os acessos a uma pessoa por sala neste sistema.

A novidade foi muito bem recebida pelos adolescentes, principalmente pela aluna Maressa, de 14 anos, que faz Kumon de Japonês desde o início de 2019. Ela comentou que já usava o aplicativo para entretenimento e que adorou unir o útil ao agradável e poder praticar japonês jogando. “Fiquei surpresa. Não esperava que fossem usar uma plataforma que já utilizamos para diversão e potencializar o nosso aprendizado.” Maressa. 

Para a aluna, o atendimento individualizado, que continua sendo desenvolvido pela orientadora, mesmo remotamente, é bem parecido com a sua rotina presencial na unidade, e ela não notou muitas diferenças nesse processo. A aluna complementou dizendo que o servidor do Kumon é bem organizado e que não tem problemas com a conexão.

 

Estudo no Lar

Maressa contou que o distanciamento social tem sido desafiador e que é mais difícil manter a concentração nos estudos nesse contexto. A solução da família foi tirar as distrações de perto, como o telefone e as redes sociais, e deixar apenas o material didático ao alcance de Maressa durante o horário de estudo.

Essa atitude é bastante recomendável, pois criar um ambiente propício para os estudos é um dos dez caminhos listados pelo professor Toru Kumon, criador do método, para o aluno alcançar o sucesso. Por isso, lembre-se: na hora de fazer o Kumon, nada de música, televisão ou redes sociais. Combinado?


Confira o post que fizemos com várias dicas para organizar o estudo no lar! 

Tags: aprendizado, japonês, estudonolar

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade