Colocando-se no lugar do aluno para oferecer o melhor a ele

29/07/2021
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Adriana Emy Iizuka Rocha, 36 anos, trabalha há 2 anos no Kumon e é coordenadora da filial Japonês. Sua principal tarefa no dia a dia é fazer com que os orientadores e unidades se desenvolvam de forma independente, sempre pensando no melhor para o aluno.

E uma das melhores formas de pensar no que é ideal para o aluno é se colocando no lugar dele, não é mesmo? Por isso, mesmo já sabendo falar o idioma, Adriana decidiu fazer o Kumon de Japonês para se aperfeiçoar na língua, conhecer o material, entender como o aluno pode se sentir realizando as tarefas e, finalmente, poder dar um suporte ainda mais adequado para os orientadores.

Estudar o método e conhecê-lo de perto é uma prática muito vívida no dia a dia dos colaboradores e amplamente incentivada pela empresa. Afinal, o objetivo do Kumon é que todas as pessoas aprendam a gostar de estudar e possam desenvolver seu máximo potencial. Para fomentar este costume, o Kumon disponibiliza 30 minutos diários e o material didático para o colaborador se desenvolver por meio da autoinstrução. Contudo, se ele preferir se matricular e estudar em qualquer unidade do Brasil, a empresa paga uma parte do curso.

Desta forma, Adriana estudou o Kumon de Japonês por um ano e meio e hoje é aluna concluinte. Para ela, a experiência de trocar de papéis e se colocar no lugar do aluno foi incrível! Além disso, entender quais as possíveis dificuldades que o aluno pode enfrentar também foi de suma importância.

“Poder entender como funciona o material didático, realizar todas as etapas do estudo e perceber sua própria evolução aumenta cada vez mais a motivação para ir ao próximo estágio e poder concluir o curso.”  Adriana Emy Iizuka Rocha.

O Kumon de Japonês trouxe muitos benefícios para a carreira de Adriana e seu desenvolvimento dentro da empresa. Como é coordenadora da filial Japonês, o idioma é essencial, porém, mais do que isso, estudar o material e concluir o curso a ajudou a entender que, se o aluno segue as etapas dos estudos do método Kumon, consegue aprender. 

“Conhecer o material do Kumon de Japonês e entender as possíveis dificuldades que o aluno pode enfrentar trouxe muito aprendizado para conseguir dar dicas para os orientadores de como manter os alunos motivados.”  Adriana Emy Iizuka Rocha.


 FICOU INTERESSADO? ESTAMOS COM MATRÍCULAS ABERTAS O ANO TODO! 

Tags: kumon, experiência, alunos, japonês, estudo

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade
Para garantir ainda mais transparência em como usamos seus dados pessoais aqui no Kumon, nós atualizamos nossa Política de Privacidade. Caso queira consultá-la, clique aqui. Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência no nosso site. Ao continuar a navegar neste site, você concorda como o seu uso. Para saber mais sobre o uso de cookies, clique aqui.