Chegada em Boston

20/02/2019
Johnatan Padovez Kumon
Compartilhe:

Todo começo é difícil, exige dedicação, energia e um objetivo final a ser alcançado. Com isso em mente, cheguei em Boston, a cidade que será minha casa pelos próximos onze meses, no dia 22 de janeiro de 2019.


Já no começo da viagem, ou seja, no aeroporto e no avião, eu me deparei com diversos desafios de comunicação: alguns pequenos, como entender as instruções de voo, escolher a comida e até mesmo pedir um guardanapo, e outros maiores, como conversar com os funcionários da imigração dos Estados Unidos da América (EUA) explicando o motivo da minha viagem, a duração da minha estada e o que eu ia fazer lá para que pudesse entrar no país. Tudo isso em INGLÊS, é claro! Sem tradutor instantâneo, sem dicionário nem ninguém para resolver para mim.

Durante todas essas situações deu um frio na barriga, sim. Essa é minha primeira vez nos EUA, e eu estava nervoso com a possibilidade de falar algo errado e não ser entendido, ou de não entender o que me diziam. Mas, no fim, todas as palavras vieram à ponta da língua, como se estivessem lá o tempo todo. Eu não imaginava que estava preparado para falar tanta coisa e me virar tão bem com o inglês que eu tinha, mas me surpreendi positivamente!


Quando cheguei em casa exausto da longa viagem e pude finalmente deitar, pensei nas experiências que tive e que me permitiram chegar até aqui. Lembrei que quando eu tinha 13 anos não sabia falar nada em inglês. Mal me lembrava da famosa conjugação do verbo to be. Nessa época, eu estava sendo apresentado ao método Kumon de Inglês e comecei logo do primeiro estágio, o 7A. Aquilo tudo parecia tão pequeno, bobo até. Eu achava que eram apenas figuras e palavras em uma folhinha. Eu fazia as atividades porque eram curtas, terminava rápido e aquilo não pesava na minha rotina de pré-adolescente. E quem diria que eram aquelas palavras que fariam toda a diferença? Que felicidade foi poder falar e ser ouvido! 


No dia seguinte, Boston estava coberta de neve, e eu não poderia estar mais feliz. A cidade é limpa, tem ruas largas, muitos parques, casas grandes, e tudo branquinho pelo gelo. Fui à Universidade de Harvard fazer minha identificação e assinar a papelada que confirmava minha chegada. Ganhei minha carteirinha de estudante e finalmente conheci o campus que vai me abrigar nessa jornada de estudos e pesquisa. Após tanto esforço e dedicação, eu finalmente estava no lugar que sempre sonhei, mas nunca acreditei que poderia alcançar: a Universidade número 1 do mundo!

No dia 28/01, comecei a estudar no Departamento de Saúde Ambiental com muita garra para fazer dessa experiência uma chance de melhorar nossa sociedade!


Tags: kumon, inglês

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade