Arthur não conseguia ler. Hoje ele é um escritor!

09/10/2018
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

O Kumon já mudou a vida de muita gente. No caso do Arthur Dias Mourão, de 9 anos, essa mudança representou uma verdadeira história de superação. Apesar de a mãe do Arthur ser professora, ele não sabia ler até o 2º ano do Ensino Fundamental. Por causa disso, não conseguia acompanhar sua turma. A mãe, claro, estava frustrada por ser educadora e não conseguir ajudar o filho. Até que o Kumon surgiu na vida deles. Era o início de uma grande reviravolta! Quem diria que, em dois anos, Arthur se tornaria um amante da leitura e lançaria o próprio livro?

Arthur recebe um troféu após apresentar seu livro na FESTMUND


Kumon para a alfabetização

A história do Arthur é parecida com a de muitas crianças. Ele já estava iniciando o 2º ano do Ensino Fundamental e ainda tinha dificuldades no desenvolvimento da leitura e da escrita, caligrafia ruim, letra ilegível, dificuldade de concentração, desinteresse e, graças ao desenvolvimento dos colegas de classe, autoestima baixa.

Djenane de Oliveira Dias, mãe do Arthur, conta que a sobrinha, hoje com 18 anos, também teve dificuldades no desenvolvimento da leitura e da escrita. A irmã matriculou-a no Kumon, e o resultado foi maravilhoso! A sobrinha de Marcos, pai do Arthur, também foi aluna do Kumon e sempre relatou facilidade em acompanhar as aulas. Hoje ela cursa Medicina. Com tantos exemplos, não levou muito tempo para o método ganhar credibilidade dentro da família.

"Tive a feliz ideia de levá-lo para uma avaliação no Kumon, onde fomos muito bem acolhidos. Na avaliação, constatamos que a autoestima devia ser o ponto inicial a ser trabalhado. Mesmo estando no 2º ano, começamos com os livrinhos de palavras e imagens. Trabalhamos muito e com muito empenho para que o Arthur pudesse se sentir seguro e capaz. Hoje ele é outra criança, cresceu em muito aspectos e continua se desenvolvendo a cada dia."

- Djenane, mãe do Arthur

 

O início de uma história como escritor

Um dia, a professora do Arthur pediu aos alunos que escrevessem sobre o que queriam ser quando crescessem. O menino, em sua empolgação, em vez de contar que queria ser escritor, começou a escrever o próprio livro: a história de um livro falante! Ele falava tanto sobre isso que os pais se interessaram em saber mais, incentivando o menino. 

Assim nasceu, de forma caseira, o livro Marcos e seus livros. Um aluno de uma das tias do Arthur fez as ilustrações, e os pais imprimiram cerca de dez cópias. Tudo simples, para manter acesa a chama na cabeça do menino. 

Eles não contavam com o fato de que a tia do Arthur, com dois livros lançados, se ofereceria para apresentar a obra do menino na 6ª edição do FESTMUND, festival na praia de Mandaú em que são apresentados novos artistas, músicos, atores e escritores. Arthur pôde contar sua história no palco do festival, recebendo um troféu e tornando-se o escritor mais jovem do Clube de Autores.

"No Kumon, o ensino é feito com paciência e amizade das professoras. Gosto muito de ser aluno do Kumon. Quero ficar lá por muito tempo, até porque vou ser premiado com medalha de aluno adiantado."

- Arthur

 

Uma grande mudança na vida

Hoje no 4º ano, Arthur lê com fluência e entendimento e tem um rico vocabulário. Seu livro preferido é O Gato de Botas. O menino conta que se identifica com o personagem aventureiro e corajoso. Quando vai à escola onde a mãe trabalha, é ele que organiza as rodinhas de histórias para os alunos do 2º ano. Na escola, Arthur é reconhecido como escritor, e na Semana Cultural apresentou Monteiro Lobato, ganhando o 1º lugar na competição de melhor caracterização. Os elogios da mãe ao Kumon são tantos que ela brinca: "prefiro tirá-lo da escola regular a tirá-lo do Kumon!".

"Percebo que o Kumon é algo que se leva para toda a vida. Não existe ex-aluno do Kumon, existe aluno de sucesso por meio do Kumon. Por isso, onde chego, recomendo o método. Serei sempre mãe de um aluno do Kumon. E o Arthur levará essa marca para sempre."

- Djenane


Capa do livro Marcos e seus livros. 

Tags: pré-escolar, aprendizado

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade